Notícias - Notícias

Maternidade Odete Valadares pede doações para banco de leite humano

Maternidade Odete Valadares pede doações para banco de leite humano

Por EME Equipment em 22/05/2018

Um ato de doação pela vida. É o que pede a Maternidade Odete Valadares (MOV), em Belo Horizonte, para abastecer seu Banco de Leite Humano e ajudar a alimentar bebês, especialmente os prematuros, com o melhor alimento para sua saúde.

Ontem, a instituição organizou um evento em frente à maternidade para sensibilizar mães sobre a importância de doar leite materno. De acordo com uma das coordenadoras do serviço, Maria Hercília Castro Barbosa e Silva, havia apenas cinco litros do alimento no banco ontem, quando o ideal seria, no mínimo, oito a 10 litros por dia.

“O banco recebe doações de leite humano e fornece o alimento para as mães que não podem amamentar. Po isso, precisa manter seu estoque em quantidade suficiente para os bebês. Os principais alvos do serviço são as crianças prematuras, que nasceram com menos de 700 gramas, e bebês doentes e/ou que foram desmamados precocemente”, explicou.

Atualmente, cerca de 100 crianças são beneficiadas pelo leite doado. Maria Hercília ainda sustentou que os bancos exercem um papel essencial por disseminar a cultura da amamentação como um direito de toda criança.

“Por mais que existam boas fórmulas nos dias atuais, nada se compara ao leite materno”, garantiu a técnica de enfermagem Camila Pedras, de 30 anos. Mãe do pequeno Paulo, que completa 2 meses no fim do mês, Camila destacou a importância de conscientizar as mulheres a doarem “a fórmula da vida”, mesmo que seja em pequena quantidade.

“Foi muito importante falar sobre esse tema com outras mães e acho que devíamos fazer mais isso. A gente vê muitas crianças nascendo que precisam, às vezes, de só um pouquinho de leite e não têm. O leite materno salva vidas qualquer ajuda, com certeza, já contribui com o estoque da maternidade”, explicou a técnica.

Os índices de aleitamento como forma exclusiva de alimentação do bebê até os 6 meses de vida vêm crescendo no Brasil, mas ainda estão muito abaixo do que é preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Na década de 1980, esse número era de 7%. Hoje, com todas as campanhas realizadas, o índice passou para 41%. Dessa forma, nosso trabalho de estímulo ao aleitamento materno é diário”, reforçou Maria Hercília.

Vale lembrar que, ao contrário do que muitas mulheres pensam, quanto mais leite as doadoras tiram, mais leite produzirão. “Muitas têm medo de o leite ‘secar’. Mas, é importante que elas saibam que isso não acontece”, tranquilizou a coordenadora do serviço.


COMO CONTRIBUIR 

Qualquer mulher com bom estado de saúde, que esteja amamentando e produza mais leite do que o necessário para o seu bebê pode se tornar uma doadora. “A mulher deve obedecer aos critérios de higienização na hora de retirar o leite a ser doado.

É importante ressaltar que todo leite doado passa por rigorosos exames para evitar contaminação”, disse Maria Hercília.

Em Minas Gerais, há 14 bancos de leite e 30 postos de coleta e, antes de alimentar outra criança, o alimento passa por um processo de pasteurização. “É possível doar sem sair de casa. Basta ligar e agendar uma visita dos nossos profissionais para que ensinem a realizar a coleta da forma adequada. Daí nossa equipe busca o leite semanalmente no domicílio da doadora”, explicou. Outras informações, de acordo com a doadora, podem ser solicitadas pelos números: (31) 3337-5678 ou (31) 3298-6008.

A Matern Milk apoia e incentiva a doação do leite materno.

Aproveite para seguir nossa página no Facebook e Instagram.

Compartilhar essa publicação
Comentar essa publicação

Assine nossa newsletter

Digite seu e-mail e receba notícias e novidades

Categorias

Encontre um representante

e solicite seu orçamento